Vasculite

O termo vasculite significa, literalmente, inflamação do vaso (vasculum em latim significa vaso sangüíneo ou linfático, e ite, inflamação). O termo é genérico, mas é utilizado para denominar um grupo de entidades anatomoclínicas caracterizadas por inflamação ou necrose da parede do vaso sangüíneo com manifestações clínicas variadas.

Mesmo no meio médico e, em especial, entre os angiologistas, existem muitas controvérsias sobre este tema, razão possivelmente da falta de conhecimentos profundos sobre estas doenças. Uma das causas do conhecimento ainda precário que temos sobre estas doenças é que foram descritas relativamente há pouco tempo e, somente nos últimos anos, com o avanço das técnicas de microscopia eletrônica e o desenvolvimento de exames mais específicos, é que os conhecimentos sobre as vasculites aumentaram.

Causas

As vasculites podem ser causadas por vários fatores (ou agentes) sendo os muito comuns os agentes infecciosos (bactérias, vírus, protozoário, etc) agindo diretamente na parede do vaso. Ou podem ser drogas os agentes (penicilina, quinina, antibióticos vários, etc). Ultimamente têm sido comum as vasculites, pelo uso de drogas ilícitas (heroína, cocaína, etc). Existe ainda a possibilidade da vasculite ser causada por reações imunológicas ou, finalmente, por mecanismos desconhecidos, atestando assim que a medicina reconhece não ter total domínio sobre este assunto.

Sisntomas

A sintomatologia das vasculites é também muito variável, gerando muitas vezes um quadro clínico pouco característico, como febre de origem desconhecida, perda do apetite, fadiga, mal-estar geral, suores noturnos, hipotensão, dores fortes nas articulações ou nos músculos. Por vezes aparecem lesões na pele (nódulos, enfartamento, púrpura) ou até úlceras cutâneas, geralmente nas pernas ou braços. Considerando que quase todos os vasos do corpo podem ser atingidos pelas vasculites, não é de surpreender a riqueza e variedade do quadro clínico observado nas vasculites. Outras vezes, o primeiro sintoma é a necrose, que pode acontecer em qualquer parte do corpo, mas é mais freqüente nos dedos.

Quem tem risco de desenvolver vasculite

A vasculite pode afetar pessoas de todas a idades, etnias, e ambos os sexos. Alguns tipos de vasculite parecem ocorrer mais freqüentemente em pessoas que:
* Têm certas condições médicas, como hepatite C ou B crônica.
* Têm certos transtornos autoimunes, como lupus.
* Fumam.

Prognóstico para vasculite

Há muitos tipos de vasculite, mas de um modo geral ela é rara. O prognóstico depende de:
* Tipo de vasculite.
* Que órgãos foram afetados.
* Com que rapidez a condição piora.
* A severidade da vasculite.

O tratamento geralmente funciona bem se a vasculite for diagnosticada e tratada cedo. Em alguns casos, vasculite pode passar por um período de remissão, no qual não fica ativa, mas pode voltar a qualquer hora.
Alguns casos de vasculite são crônicos e nunca entramem remissão. Tratamento de longo prazo com medicamentos freqüentemente pode controlar os sinais e sintomas de vasculite crônica. Em casos raros a vasculite não responde bem ao tratamento. Isso pode levar a incapacitações e até à morte.

Tratamento

O principal objetivo do tratamento para vasculite é reduzir a inflamação dos vasos sanguíneos afetados. Isso é geralmente feito reduzindo ou interrompendo a resposta imune que causou a inflamação.
O tratamento para vasculite depende do seu tipo, que órgão afetou, e sua severidade. Pessoas com vasculite severa recebem tratamento com medicamentos sob prescrição médica. E ocasiões raras, cirurgia pode ser feita para remover aneurisma decorrente da vasculite. Pessoas com vasculite leve podem obter alívio através de analgésicos como aspirina e ibuprofeno.